Anónimo a 10 de Maio de 2005 às 01:35
Estive a ler os comentrários anteriores e soltei um sorriso enorme! Tu sabias que eu iria recordar-me de imediato :) E foi devido a essa tua expressão que foi criado algo cujo título era 'Prometo-me uma lua só para mim'. E 'rezava' assim: 'Contemplo a noite rio acima, esbracejando pela aurora de um leito que se quer próxima... do peito...
Estalo os dedos e contraceno com a lua brilhante – como a desejo em mim, sem obrigação de ser noite, num céu estrelado com reflexos de cometas e fulgores cadentes que me calam a voz, sentindo o silêncio a percorrer-me os sentidos.
Os desejos são vontades que me escorregam pelos dedos, escapam-me como rebuçados que não chego a saborear... Mas eis que se veste uma noite aprumada, vem dançar comigo uma valsa que sei colorida, imponente no rigor dos passos e flamejante quando roça o meu corpo erguido. Irá oferecer-me o astro da minha imaginação, delicado no seu azul esbranquiçado, como se no céu se pudesse desenhar um sonho pintado à mão. Foi-me prometida uma lua. Prometi-a a mim mesma. Sou frágil, recortada por lembranças e nostalgias que me preenchem os olhos fechados.
Não quero morrer sem me sentar na lua e de lá lançar beijos e papoilas. Se tal não acontecer, irei de coração partido. Porque o prometido é de vidro...'. É para ti, uma vez mais, Pedro querido :) Beijo inquebrável.Carla
</a>
(mailto:cferreirapedro@sapo.pt)

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres